[Resenhas de Clássicos] O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams

Olá, hunters! Peguem suas toalhas e venham ler a resenha desse clássico tão especial para a cultura nerd que foi homenageado com seu próprio dia!  😉

guia1

Editora Arqueiro

Sinopse: Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, O Guia do Mochileiro das Galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da “alta cultura” e de diversas situações atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.

Arthur Dent acorda em uma quinta-feira acreditando precisar se preocupar “apenas” com a iminente demolição de sua casa para a construção de um desvio, planejado há meses pela Secretaria de Obras. Ironicamente, esse também é o dia marcado para a destruição do planeta Terra, também planejado há tempos. Enquanto para todos os outros terráqueos isso é o fim, Arthur é salvo da morte por Ford Prefect, a quem ele desconhece ser um extraterrestre cujo trabalho no nosso mundo tem sido realizar pesquisa de campo para o Guia do Mochileiro das Galáxias.

É uma espécie de livro eletrônico. Tem tudo sobre todos os assuntos. Informa sobre qualquer coisa. (…)

– Gostei da capa – disse ele. – Não entre em pânico. Foi a primeira coisa sensata e inteligível que me disseram hoje.

Adams era um entusiasta da tecnologia, o que fica bem claro na sua criação. Ele descreve aparelhos avançados para a realidade onde escrevia – lembrando que esse livro foi lançado há 37 anos! O próprio Guia não é um livro físico – está mais para um tablet avançado.

“Mas noooossa, o mundo acaba no início do livro?!?!” Sim amiga mais ou menos no início, e na verdade apenas o nosso mundo encontra seu fim nas páginas da obra. Ford leva Arthur e todos os leitores para ver o universo, onde nos deparamos com outras civilizações que, vamos lá, nem são assim tão diferentes de nós – pelo menos nos defeitos.

É uma viagem. Não só uma que vai literalmente pelos confins das galáxias, mas também uma viagem metal. Douglas Adams viaja muuuuuuuuito e, uma vez que o leitor esteja disposto a encarar os parágrafos repletos de estranheza e pura criatividade, a diversão é garantida. Pura comédia é o que é, às vezes ácida, que tira sarro da sociedade e constantemente critica política e burocracia. Comédia inteligente, daquele tipo que uma “forma de vida bípede baseada em carbono e descendente de primatas” precisa conhecer  nós humanos, ok ?! kkkkkkkkk.

O Guia é o primeiro de uma série de cinco livros, chamada carinhosamente de Trilogia de Cinco. Em 2009 Eoin Colfer escreveu um sexto livro para a saga, com a autorização da viúva de Adams, falecido em maio de 2001.

douglas a

Editora Arqueiro

Esse ano a Editora Arqueiro lançou o Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias, que reúne a Trilogia de Cinco em um volume – capa dura!

guia definitivo

Editora Arqueiro

A obra foi adaptada para os cinemas, com Alan Rickman dublando o adorável e depressivo androide Marvin.

guia filme

Homenageando Douglas Adams e sua obra, o dia 25 de maio, já Dia do Orgulho Nerd (devido ao lançamento de Star Wars em 1977), passou a ser também conhecido como o  Dia da Tolha. A toalha é assim tão importante no mundo de Adams porque, de acordo com o Guia, ela pode ser utilizada em várias situações no universo, inclusive em risco de morte.

Segundo ele, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. (…) você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V (…); enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz).

Você precisa ler e descobrir os muitos momentos icônicos do Guia: o significado do número 42, o que os golfinhos realmente queriam dizer com aqueles pulos fofos e brincadeiras de bola, porque você nunca JAMAIS deve deixar um Vogon ler uma poesia para você, e essa cena:

*gif do Obrigado Pelos Peixes

Impossível essa maluquice toda ganhar menos do que isso:

5-estrela

Boa leitura, hunters! 😉

Anúncios

2 comentários sobre “[Resenhas de Clássicos] O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams

    • Susana disse:

      Fatão, Lu! Do Guia saíram várias referências da cultura nerd. Até quem não leu sabe qual livro está sendo citado, de tão marcante que ele é.
      Vale a pena dar uma lida; é uma leitura bem descontraída. 😉
      Obrigada pela visita!
      Beijo!

      Curtido por 1 pessoa

Conta pra gente o que achou!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s